Um alguém chamado “Mundo Melhor”

José se colocou no lugar de Maria, que se colocou no lugar de Paulo, que se colocou no lugar Pedro, que decidiu ajudar.

José, cercado de pessoas que não se colocam no lugar de ninguém, decidiu fazer diferente. Para ele, não estava fazendo nada grandioso.

“ – Só gostaria que agissem assim comigo” – dizia ele.

Afinal, “e se a minha mãe precisasse? Já pensou ela ficar sem ajuda? E se alguma pessoa que você gosta precisasse de ajuda?” – falava com um tom de obviedade. “ Eu gostaria que alguém se colocasse no lugar dela.”

José sentia a simplicidade de quem queria apenas um lugar melhor para viver.
“Não é sua obrigação” – ouvia com frequencia.

Mas em meio a tantos que esperam grandes mudanças para um mundo melhor, para Maria, José era o próprio “mundo melhor”.

Ao se colocar no lugar de Maria e ajudá-la, contagiou-a com sua educação e gentileza. Motivada e esperançosa, Maria, se colocou no lugar do Paulo que, por sua vez, se sentiu notado e ficou tocado pelo lindo gesto de Maria. Paulo decidiu ajudar…


Essa é a história de um motorista de Uber que, com tamanha gentileza e boa vontade, me ajudou a chegar em casa depois de um final de semana intenso de feira e chuvoso.  Muitos se negaram a carregar minhas bagagens pois exigia mais esforço para encaixá-las no espaço. Mas ele, não só fez, como não fez eu me sentir um problema por estar transportando aquilo.

Cheguei em casa tão cansada quanto agradecida e esperançosa! Vivi por minutos o mundo que gostaria que existisse. E sim, ele existe. Com o José, Maria, Paulo, comigo e com você.

Sejamos todos o próprio “Mundo Melhor’!

 

Últimas do Blog

O cume e a parede da sala

Há uns 8 anos subi o primeiro morro. Foi lindo e desafiador! Caminhada na mata nativa, cheiro de terra, barulho […]

Continue lendo

O que todos os anos de estudo dizem sobre mim? Sou artesã.

Reparo nos papéis agora jogados no chão. Minha letra não é a única coisa que mudou. O conteúdo das pilhas […]

Continue lendo

E daqui a 40 anos?

  Semana passada tive o privilégio de conhecer um comerciante que estava trabalhando há 40 anos não só no mesmo […]

Continue lendo